Inferno particular

IMG-20170801-WA0030Eles se conheceram e viram que seria uma boa parceria. Ele era envolvente. Ela acreditou ser seu grande amor.

Cresceram profissionalmente, ele jornalista, ela produtora de TV. No amor, quase três anos de amizade e uma filha.

Surgiu a bebida, porres, ofensas, grosserias, danos na autoestima dela, humilhações, manipulação de decisões, ridicularização… Alcoolismo não justifica. A proibia de conversar com amigos, fazer amizades, controlava com quem poderia falar e lugares frequentados.
Violência psicológica é crime!

Venderam o carro dela para “limpar o nome” dele e mudar a vida. Ela ficou sem carro, com dívidas e ele livre. Não foi acordo, foi manipulação. Furto, retenção, destruição de bens, valores e recursos econômicos, é violência patrimonial.
Violência patrimonial é crime!

Houve adultério, ele estava saindo com uma funcionária da empresa dele. Ela perdoou e em alguns dias, o alcoolismo foi protagonista outra vez, por questões banais, irritou-se e levou-a numa rua deserta, mandou descer do carro e ela com a filha no colo, não houve compaixão, a agressão foi no meio da rua com pontapés. Depois tentou convencer que não agrediu, mas os exames registram traumatismo craniano, torácico e muitos hematomas.
Violência física é crime!

Saiu dizendo: ela é histérica, virou o diabo por uma discussão boba e um empurrãozinho, é má e proibiu de ver nossa filha.
Violência moral é crime!

Relação sexual não desejada é um ato criminoso.
Violência sexual é crime!

Sempre o agressor tenta convencer a vítima que não aconteceu nada grave ou que a culpa é dela. A mulher diante de ameaças de morte, vergonha, medo, dependência financeira, sente-se despreparada para denunciar ou romper a relação.

Mulheres em situação de violência doméstica precisam de apoio e conhecer seus direitos. Nenhuma Mulher Maravilha deve sofrer como Maria da Penha sofreu.

A Maria Maravilha está nas redes sociais para mostrar a essas mulheres maravilhosas que não precisam ficar nesse ciclo de violência, é preciso romper, denunciar.

Eu sou Alice Verdade, vivi essa história, denunciei o agressor e estou aqui para te ajudar.
#sobrevivi #eusoumariamaravilha #mariamaravilha #violênciadoméstica #respeito #aliceverdade #leimariadapenha

Apoio: Heloisa Nobre Cabeleireiro, André Gonçalves Martins, Taís Verdade Arte , Almofadas e Estofaria Verdade e Psicólogo Mauricio dos Santos Moreira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s